segunda-feira, 28 de março de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

A Avaliação Necessária

Meu amor pena arte seria muito criticado, como já foi, por não conter concretudes técnicas. Admito que não concordo com a inspiração por ela mesma como suficiente para alcançar o objetivo que deveria ser o de todo o artista: provocar seu público.

Costumo dizer que toda manifestação artística pode se dizer de boa qualidade quando ela consegue atingir seu público naquilo que ela se propõe. Mesmo que nos níveis mais simples de atingimento. A música deve pelo menos cativar os ouvidos, a pintura e a dança, os olhos, o cimena e o teatro, ambos, a culinária, o olfato e o paladar, etc.

Mesmo não gostando de todas as manifestações artísticas, me sinto obrigado a creditar a uma música, ou filme ou o que seja o título de bom se percebo que ela atingiu seu objetivo.

Dito isto, quero fazer uma simples convocação a cada artista ou apreciador de arte que esteja me lendo: não se contente em fazer ou apreciar arte ruim. O que é arte ruim? Seguindo essa linha de raciocínio é aquela que não te provoca. É aquela que em se apresentando como comédia não lhe provoca um riso gostoso, ou que se apresentando como drama não lhe provoca choro.

Claro que a classificação de músicas, filmes, peças, etc de idiotas ficam a cargo do espectador. Graças à Deus que ainda se produzem, obras de arte boas, muito boas. E graças a Deus também que as boas obras de tempos antigos ainda nos estão disponíveis, em grande parte, graças a internet.

A avaliação é necessária, caso contrário estaremos fadados, enquanto vivos, a aberrações midiáticas como temos em fartura em todo o mundo.

domingo, 20 de março de 2011

Nada de mais

O que você vai encontrar no Caminho da Graça?

Bom, posso dizer o que encontrei na Estação BH. Quando estava lá chegando, essa pergunta me veio a mente: o que será que eu vou encontrar lá? E sinceramente, não queria dar muitas asas a esse questionamento para não gerar uma expectativa idólatra para com eles, coisa que eu já fiz muito com a igreja. E, após a reunião acabar, a minha conclusão foi que o que eu encontrei foi...

Nada de mais.

Por que todos os "mais" que até hoje foram inseridos na vivência do Evangelho, existem nas igrejas fundadas pelo Cristianismo. E por ser tão difícil achar a simplicidade e o minimalismo burocrático-institucional no meio dito "cristão" é que fiquei tão feliz em ver que lá, no Caminho da Graça eu não achei nada de mais.

Lá não há um nomeado pastor que tem o monopólio sobre a revelação e o ensino, nem a responsabilidade sobre a alma de ninguém;
Lá não há rol de membros, há pessoas que estão juntas no caminho pelo vínculo único do amor;
Lá ninguém paga impostos divinos;
Lá todos têm, sim, um pastor, o Bom Pastor;
Lá há quem sofra, quem chore, e sempre há quem se tenha o ombro respingado de lágrimas;
Lá há simplicidade;
Lá não há necessidade de controles humanos, não porque todos sejam perfeitos, mas primeiro, porque ninguém está em posição de controlar ninguém, porque todos somos irmãos, e segundo porque todos, todos nós teremos que responder individualmente perante nosso Criador, não só no Grande Dia, mas diariamente Seu Espírito nos impele a nos mostrar à luz, quem ignora isso já saiu dEle, e não é um controle humano que vai remediar isso.

Isso é pouco, mas é o que eu vi.

Quem duvidar, vá e veja.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Como pedir uma pizza em 2015

Texto de Luís Fernando Veríssimo

Telefonista: Pizza Hut, boa noite!

Cliente: Boa noite! Quero encomendar pizzas...

Telefonista: Pode me dar o seu NIDN?

Cliente: Sim, o meu número de identificação nacional é 6102-1993-8456-54632107.

Telefonista: Obrigada, Sr.Lacerda. Seu endereço é Avenida Paes de Barros, 1988 ap. 52 B, e o número de seu telefone é 5494-2366, certo? O telefone do seu escritório da Lincoln Seguros é o 5745-2302 e o seu celular é 9266-2566.

Cliente: Como você conseguiu essas informações todas?

Telefonista: Nós estamos ligados em rede ao Grande Sistema Central.

Cliente: Ah, sim, é verdade! Eu queria encomendar duas pizzas, uma de quatro queijos e outra de calabresa...

Telefonista:
Talvez não seja uma boa idéia...

Cliente:
O quê?

Telefonista: Consta na sua ficha médica que o Senhor sofre de hipertensão e tem a taxa de colesterol muito alta. Além disso, o seu seguro de vida proíbe categoricamente escolhas perigosas para a sua saúde.

Cliente: É você tem razão! O que você sugere?

Telefonista: Por que o Senhor não experimenta a nossa pizza Superlight, com tofu e rabanetes? O Senhor vai adorar!

Cliente: Como é que você sabe que vou adorar?

Telefonista: O Senhor consultou o site 'Recettes Gourmandes au Soja' da Biblioteca Municipal,dia 15 de janeiro, às 4h27minh, onde permaneceu conectado à rede durante 39 minutos.
Daí a minha sugestão...

Cliente: OK está bem! Mande-me duas pizzas tamanho família!

Telefonista: É a escolha certa para o Senhor, sua esposa e seus 4 filhos, pode ter certeza.

Cliente
: Quanto é?

Telefonista: São R$ 49,99.

Cliente: Você quer o número do meu cartão de crédito?

Telefonista: Lamento, mas o Senhor vai ter que pagar em dinheiro. O limite do seu
cartão de crédito já foi ultrapassado.

Cliente: Tudo bem, eu posso ir ao Multibanco sacar dinheiro antes que chegue a pizza.

Telefonista: Duvido que consiga! O Senhor está com o saldo negativo
no banco.

Cliente: Meta-se com a sua vida! Mande-me as pizzas que eu arranjo o dinheiro. Quando é que entregam?

Telefonista: Estamos um pouco atrasados, serão entregues em 45 minutos. Se o Senhor estiver com muita pressa pode vir buscá-las, se bem que transportar duas pizzas na moto não é aconselhável, além de ser perigoso...

Cliente: Mas que história é essa, como é que você sabe que eu vou de moto?

Telefonista: Peço desculpas, mas reparei aqui que o Sr. não pagou as últimas prestações
do carro e ele foi penhorado. Mas a sua moto está paga, e então pensei que fosse utilizá-la.

Cliente: @#%/§@&?#>§/%#!!!!!!!!!!!!!

Telefonista: Gostaria de pedir ao Senhor para não me insultar... Não se esqueça de que o Senhor já foi condenado em julho de 2006 por desacato em público a um Agente Regional.
Cliente: (Silêncio)

Telefonista: Mais alguma coisa?

Cliente: Não, é só isso... Não, espere... Não se esqueça dos 2 litros de Coca-Cola que constam na promoção.

Telefonista: Senhor, o regulamento da nossa promoção, conforme citado no artigo 3095423/12, nos proíbe de vender bebidas com açúcar a pessoas diabéticas...

Cliente: Aaaaaaaahhhhhhhh!!!!!!!!!!!
Vou me atirar pela janela!!!!!

Telefonista: E machucar o joelho? O Senhor mora no andar térreo!

domingo, 6 de março de 2011

Não se Esqueça

Texto de Nelson Machado


Você pensa que não nos conhece, mas cresceu nos ouvindo. Não importa o tempo em que você foi criança, você cresceu escutando: "Oh vida" "Santa recompensa, Batmam" "gentala gentalha" "Scooby-doo, cadê você?" "Morra Seya" "Pelos poderes de Greyskull" "É a dimensão da fantasia, uma região... além da imaginação". E tantas outras frases e bordões.

Você depois cresceu mais um pouco, tomou contato com séries engraçadas, emocionantes, violentas, excitantes... teve seu café da manhã com desenhos, sua folga da escola ou do trabalho com sessões da tarde, sua noite recheada de séries semanais e grandes filmes de longa-metragem de comédia, drama, aventura... teve suas madrugadas de insônia preenchidas com filmes antigos, velhos atores, grandes diretores.

Na maioria das vezes em que estivemos juntos a sua intenção era se divertir. Nossa passagem em sua vida foi sempre em momentos de descontração. Com o tempo, você foi aprendendo, tomando gosto, se informando, estudando, crescendo, se tornando mais sábio e mais culto. Talvez hoje você continue com a gente, nos acompanhando nos caminhos que continuamos a percorrer durante quase 50 anos.

Talvez você ainda goste de nos ouvir numa tarde de folga ou numa madrugada qualquer. Talvez você continue nos querendo por perto. Talvez não. Talvez você tenha mudado suas preferências. Talvez hoje você prefira seus filmes, séries e desenhos sem a nossa participação. E esse é um direito seu.

Mas seu filho, sem dúvida vai percorrer o mesmo caminho que você percorreu. E nos vamos estar por aqui para nos divertir junto com ele assim como já nos divertimos junto com você.

E assim como você não se esquece de um pião, uma pipa, um video game, uma professora, uma namorada, um gibi ou um grande amigo, não se esqueça de que tudo o que você aprendeu a gostar em cinema, em vídeo e em TV, você conheceu dublado.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Sem título II

Faz alguns meses que eu perdi o interesse em escrever. Perdi por questionar a relevância das minhas opiniões. Por achar meio sem motivo emitir uma opinião, pelo menos em forma escrita, acerca de muitas coisas: das minhas opiniões pessoais, críticas aos moldes da sociedade ou as reflexões acerca do Evangelho.

Parei.

Isso explica minha inatividade no twitter e no blog.

Agora, outro fenômeno ocorre, que é a minha recente e persistente sensação de emburrecimento. Não sei se foi simultâneo à minha parada na escrita ou se foi anterior, o fato é: eu me sinto menos inteligente.

E eu poderia dar muitas razões para tal sentimento, mas a realidade é que isso só me afundaria mais na burrice. E como disse, não sei  se me senti assim porque parei de escrever ou se parei de escrever porque comecei a me sentir assim.

Talvez isso seja uma conseqüência natural e não programada de minha rejeição tão intensa a toda intelectualidade estéril e produtora de vazios e lugares-comum, que tem seu maior representante no Direito, com a qual tenho passado a conviver nesses tempos de ensino "superior". E eu sei, eu sei que acabei de dizer que fazer isso (justificar o sentimento de ''desinteligência'') seria burrice, mas é mais forte do que eu.

Assim, fico um poucomais tranquilo sabendo que fui eu mesmo que vim pra cá, essa consequência é natural: se o vento sacode a árvore com força os frutos que caem estavam mesmo precisando cair. Fico mais tranquilo ainda sabendo que não fui eu que me meti nessa, muito antes, foi o próprio Deus que, como lhe é de feitio, faz com que percebamos a vida em profundidade, mostrando o que cada coisa quer ensinar em cada momento. A sabedoria do homem, para ele é loucura. E a loucura humana é, para ele, sabedoria.

Entretanto, continuo a me sentir mais burro. Mas acho que devo voltar a escrever.